Você mudaria o rumo da própria história, após seus 30 anos?

Um dia desses, encontrei um amigo, que não via desde meus 20 e poucos anos, quando saímos da faculdade. Sentamos pra conversar e colocar o velho papo em dia. Foi quando ele me disse que tava desanimado e que, apesar de ter um bom emprego, não tinha prazer no seu trabalho, era desgastante e sem graça. Ouvi tudo atentamente, e quando ele perguntou sobre mim, contei sobre meus últimos anos e tive a impressão de ter dado a ele ânimo e coragem pra mudar o rumo de sua vida.

Quando ele me veio com a clássica pergunta, e aí, você ainda está na mesma empresa da época da faculdade? Foi minha deixa para contar a ele meus últimos feitos.

Contei que com o advento da Internet, passei a conhecer um mundo novo, de conhecimento, cheio de possibilidades e me encantei. Eu sinceramente tava tão desanimada com minha carreira profissional, e até mesmo com a faculdade que concluí, pois não segui em frente em busca de estágio. Em um primeiro momento, navegar na internet era um hobbie, e como hobbie, foi que comecei a me interessar por Web Design. Junto com um ex-namorado, me aventurei a criar um site, aliás, por mais que a idéia fosse boa, confesso que o site ficou bem tosco. Mas cada vez que eu tentava criar algo, me sentia livre, como um pintor olhando pra uma tela em branco, colocando toda sua sensibilidade e seu amor no trabalho.

Algum tempo depois, saí da empresa, sem saber qual seria meu futuro profissional, e por uma obra do destino, tive a sorte de ganhar um pacote de cursos em uma renomada escola de TI. Porém, por mais que meu aprendizado fosse bom, fiz os cursos em pouquíssimo tempo e não tive aquele período necessário de treino, de testes entre um curso e outro. Assim, tive a exata constatação daquela frase popular que diz: “A pressa é inimiga da perfeição!”. Em seguida, fiz meu primeiro site, pelo qual fui remunerada, e isso me deu uma grande felicidade, porém, sou muito crítica, e sabia que minha caminhada no aprendizado só estava começando.

Olhava constantemente vários sites, layouts e sempre achava que os meus ainda não estavam de acordo. Assim, fui tentando aprender mais e melhor, como autodidata, mas mesmo assim, precisava me aperfeiçoar. E foi dessa forma que, fuçando na internet, encontrei um curso online no site do Bruno Ávila, chamado Design Web, que me chamou muito a atenção. Primeiro que era exatamente o que eu procurava em todo seu conteúdo. Comecei a pesquisar sobre o autor do curso, e vi que era uma pessoa que como eu, amava o Web Design e que por isso queria compartilhar de forma profissional, com todos aqueles que tem interesse em uma internet melhor e mais acessível.

Tudo me fazia crer que o curso me daria condições de criar melhores trabalhos, mas no final, foi muito mais que isso. Aprendi novos conceitos, tendências, aprendi a me auto-avaliar melhor. As aulas eram hilárias, mesmo virtual, o professor que por ser jovem, tinha uma didática toda peculiar, falando a mesma linguagem que seus alunos, fazendo uma aula descontraída, com exemplos fáceis e cotidianos. Aulas assim, nos fazem mais descontraídos e a assimilação bem mais facilitada. A cada aula online, tínhamos materiais disponíveis embasados em estudos sérios, fazíamos trabalhos, interagíamos com outros colegas do curso, dentro de um ambiente virtual super amigável e seguro. Em todas as aulas tínhamos acesso ao material áudio-visual do curso (vídeo-aulas) e assim, a impressão, era de que estavamos em uma aula particular, mesmo que à distância.

Todos os exercícios propostos eram realizados e enviados para o professor, que lá de Fortaleza, nos enviava o exercício corrigido aluno por aluno, tudo de forma digital e muito rápida. Toda essa estrutura do curso, meu deu não só confiança, mas como muito conhecimento e vontade de trabalhar nessa área, e num futuro poder realizar trabalhos cada vez melhores e mais profissionais. E com isso, fui seguindo os conselhos do nosso velho “professor Tibúrcio” (apelido carinhoso do nosso professor Bruno), que sempre nos encorajava a ler livros, buscar informações, interagir com os colegas de curso, e treinar, tentar, testar nosso aprendizado, até conseguirmos um bom resultado. Vi minha evolução, desde aquele pequeno site tosco que criei anos antes. E pude concluir, que a vida é assim, como nos exercícios de Web Design, cheio de acertos e erros. O que vale é tentar mudar e melhorar sempre, não importa a hora, não importa a idade.

Curso de Design Web

Na sequência, fiz com o mesmo professor, o curso de Como vender Sites, que foi ótimo pra que eu pudesse mensurar gastos e mão de obra, na hora de cobrar por um trabalho, comprovando para o cliente, que o gasto que ele vai ter no desenvolvimento do site, será revertido em lucro e na conquista de novos clientes em maior escala, alcançando novos mercados, antes não explorado.

Porém, para um web designer, o céu não é o limite, já que seu aprendizado pode e deve ser ampliado ao máximo possível, e foi assim que decidi esse ano de 2010, ampliar meus conhecimentos e aprender uma linguagem de programação com a qual eu me identificasse e que trouxesse ao meu trabalho, novas funcionalidades facilitadoras. Por já me familiarizar com o PHP, tive uma grata surpresa, por saber que o Bruno Ávila novamente tinha um curso com a “minha cara”, tratando a linguagem PHP, não como um bicho de 7 cabeças, fazendo a gente dormir ao tentar entender um script complicado.

Acho o PHP muito intuitivo, mas claro, sem conhecimento da linguagem, não tem como. Já havia procurado por outros cursos online que me ensinasse PHP de forma simples, mas no curso PHP para Web Designers, vi a linguagem ser ensinada de forma diferente, já que o curso era totalmente voltado para os web designers, que tem um lado criativo mais aflorado e que não costumam ter um raciocínio tão lógico quanto os programadores. Mais uma vez, o professor Tibúrcio se superou na criatividade, tornando as aulas sempre muito agradáveis e de fácil entendimento, trazendo até elementos lúdicos, para personalizar as aulas. Ao final, só me veio a certeza de que o lema “Para o alto e avante”, usado pelo Bruno no Blog Avante, cai como uma luva nessa área tão cheia de possibilidades.

Olha aí meu certificado do curso de PHP para Web Designers:

Vejo meu trabalho crescendo a cada novo desafio. E no final das contas vi que até mesmo minha formação acadêmica em Comunicação Social, só veio contribuir para meu trabalho como Web Designer. Hoje crio lojas virtuais, layout de sites, newsletters e ainda acredito que tenho muito para aprender, e sempre terei, porque a internet é um mundo em constante estado de evolução. Minha alegria, satisfação e vontade são tão grandes, que a cada trabalho, é como um novo filho.

Mostrei ao meu amigo os trabalhos que tenho feito, e ele sorriu, dizendo que tenho muito futuro pela frente. Que tem orgulho de mim e, ao mesmo tempo, uma inveja boa da minha coragem de mudar o rumo da minha vida, já numa idade em que muitos já tem carreiras consolidadas. Então eu disse a ele que, num jogo, tudo pode mudar, mesmo que seja aos 44 minutos do segundo tempo, só depende da estratégia e da força de vontade.

E você, tem coragem de mudar o rumo da sua vida, apostando na profissão que realmente te faz feliz?

Uma resposta to “Você mudaria o rumo da própria história, após seus 30 anos?”

  1. Continue perseverante , voce tem potencial e vai vencer seus obstáculos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: